Depois que você saiu da faculdade, sempre esteve ativo no mercado de trabalho, ocupando diversos cargos administrativos em empresas. Mas como já tem uma boa condição financeira, acha que está no momento de mudar o rumo de sua vida, e quer ter o seu próprio negócio, certo?

O problema é que você quer comprar uma franquia, mas está cheio de dúvidas e hesitações na fase de negociação inicial. Para que as coisas deem certo, então, é preciso que você reúna o maior número de informações possíveis. Só depois de uma conversa transparente e esclarecedora é que você vai compreender melhor o negócio.

Que tal conferir algumas perguntas fundamentais que você deve fazer ao franqueador antes de fechar o contrato? Elimine todas as suas dúvidas e se sinta mais seguro para seguir adiante. Vamos lá?

1. Será preciso me dedicar integralmente ao negócio?

Uma das perguntas mais básicas tem relação com o tempo necessário para tocar o negócio. O horário de trabalho deve ser esclarecido antes que você se comprometa, principalmente se os seus planos ainda não incluem exclusividade total à franquia.

Algumas pessoas iniciam os negócios conciliando o novo empreendimento com outras atividades. Se esse for o seu caso, então, é importante descobrir com antecedência se você precisará se dedicar integralmente ou não.

2. Quais experiências e habilidades eu devo ter?

Por mais que a maioria das franquias não exijam uma experiência anterior no segmento em questão, é importante você ter uma ideia, pelo menos geral, do que se trata o negócio. De início, é interessante que você tenha interesse por gestão e, se possível, que traga um mínimo de habilidade para isso.

Mas você deve perguntar se são oferecidos treinamentos e capacitações específicas. E, mesmo se a resposta for sim, não deixe nunca de se informar por fora. Quem empreende não pode parar de estudar e de se atualizar sobre o mercado, você concorda?

A falsa ilusão de que a franquia já vem pronta não pode te enganar: o trabalho é duro e requer dedicação, mesmo que eles te repassem o bê-a-bá de funcionamento.

3. Qual é a estrutura de apoio ao franqueado?

Além dos treinamentos e das capacitações, você também deve questionar a estrutura de apoio que vai receber do franqueador. Afinal de contas, nunca estamos imunes a problemas.

Como será feito o atendimento, por exemplo? Por e-mail ou por telefone? A franquia disponibiliza encontros presenciais?

É fundamental perceber esse nível de suporte e atenção antes de fechar qualquer contrato. Dificuldades podem surgir, e um apoio estratégico faz toda a diferença para atingir os resultados esperados.

4. Como são realizados os treinamentos e as capacitações?

Se a resposta da pergunta anterior for positiva, então, parta para a próximo questionamento: “como o franqueador realizará os treinamentos e capacitações?”.

A maneira como isso é feito varia de marca para marca, mas é interessante saber sobre as ferramentas utilizadas e se os cursos são feitos presencialmente ou a distância.

Além disso, procure saber se os treinamentos são apenas realizados nas fases iniciais de abertura do negócio ou se são oferecidos cursos de reciclagem. Afinal, a atualização do modo como todos trabalham é fundamental para que o empreendimento esteja sempre alinhado com o mercado.

5. Eu devo me preocupar se já houve fechamento de franquias?

Durante o processo de perguntas, é interessante que você já apareça com uma pesquisa prévia do negócio. E pode acontecer de você ter ficado sabendo de algumas franquias da marca que fecharam as portas.

No momento de tirar as suas dúvidas, não se esqueça de perguntar sobre isso. Quais foram os motivos de tais franquias terem sido encerradas? Foi uma má gestão do franqueado ou a região em questão não recebeu bem o negócio?

Se a franqueadora não for transparente nesse momento, você já pode ficar com a famosa “pulga atrás da orelha”. Portanto, não tenha preguiça de pesquisar e investigar os porquês do insucesso de franquias que fecharam.

6. Como funciona o marketing da marca?

Sobre o marketing, é importante você perguntar como tudo funciona. Na maioria dos casos, você só paga uma taxa à franqueadora e ela cuida do resto. Mas, como cada marca tem um modelo diferente de trabalhar a sua imagem, é importante tirar dúvidas sobre as formas de divulgação.

Você precisa se ater a esse assunto, principalmente se a sua região for um pouco distante ou isolada das demais franquias. Pode acontecer, por exemplo, de as ações de marketing não atingirem muito bem a sua localidade e, talvez, seja necessária uma estratégia melhor.

7. Qual é o lucro médio e o período de payback da franquia?

Falar de dinheiro é preciso! Logo, não se esqueça de perguntar sobre o faturamento do negócio.

Além disso, questione sobre o prazo de retorno do seu investimento. Esses valores e períodos de payback são fundamentais para você alinhar as suas expectativas e as suas necessidades e, é claro, evitar decepções.

8. Como é a forma de pagamento ideal para os funcionários?

Além de falar sobre o seu investimento e sobre o retorno, também é importante discutir sobre a remuneração dos funcionários.

Se a franquia exige contratação, é fundamental que a franqueadora te dê diretrizes de como administrar isso e, de preferência, os demais pontos de relacionamento com os empregados.

Aqui entra, novamente, aquela necessidade de a franqueadora te dar suporte para sanar dúvidas e resolver problemas. Os funcionários seguem uma linha padrão? Recebem um treinamento ideal? Quais bonificações eles terão direito de receber? E por aí vai.

9. Quais são os planos da rede para os próximos anos?

Além de questões mais pontuais, é interessante perguntar sobre os planos futuros da rede de franquia. Afinal, você não vai querer investir em um negócio que não tem visão de crescimento, não é verdade?

Pergunte, então, sobre as estratégias traçadas para os próximos anos e perceba se os esclarecimentos às suas dúvidas vão convergir ou divergir dos seus projetos futuros.

10. Eu posso abrir mais de 1 franquia?

Se você já está pensando em expandir os negócios, caso deem certo, então é uma boa ideia já perguntar quais são as regras para se abrir mais de uma franquia. Portanto, peça informações sobre os critérios para se investir em mais de 1 unidade.

Algumas marcas estabelecem regras como limites de um raio de alguns quilômetros entre uma franquia e outra ou, então, uma quantidade estipulada por cidade. Se o contrato não especifica esses detalhes, é importante você questionar para onde o seu negócio pode crescer.

A verdade é que você não pode ter vergonha de perguntar. Se você quer comprar uma franquia, precisa ter uma conversa esclarecedora e não deve ter medo de bombardear a franqueadora de questionamentos. Até que você se sinta confortável para fechar ou não o negócio, tire todas as suas dúvidas.

Para você se sentir mais seguro ao realizar essas e outras perguntas, também é interessante já se munir de informações sobre como dar os primeiros passos para empreender.

Para te ajudar nisso, preparamos um e-book completo. Que tal baixá-lo agora mesmo?

0 28