O sonho de empreender é cultivado por muitos brasileiros. No entanto, nem sempre a realidade permite que um investimento seja feito por conta própria. É justamente nesse momento que as pessoas optam por abrir um negócio com amigo ou parente.

Assim como nos empreendimentos individuais, as sociedades têm seus benefícios e suas inconveniências. Nesses casos, em especial, vale a pena ter uma atenção maior, já que envolvem também relações pessoais.

Neste artigo, vamos relacionar 6 vantagens e desvantagens de apostar neste tipo de negócio. Acompanhe!

1. As relações se misturam

Podemos considerar isso uma coisa boa e ruim ao mesmo tempo. A relação fortalecida tende a trazer melhor entrosamento no ambiente de trabalho. Quando as capacidades entre os membros se complementam é possível que o empreendimento cresça de maneira mais harmoniosa e sustentável.

No entanto, se por algum motivo existem conflitos familiares, isso pode refletir negativamente no funcionamento da empresa. O contrário também acontece quando problemas do negócio afetam as relações pessoais entre os membros envolvidos.

Com amigos, a situação também pode se repetir. Por isso, o melhor a fazer é sempre deixar claro que existe uma separação entre o trabalho e a vida pessoal, que deve ser preservada para o bem-estar dos sócios.

2. A confiança é bem maior

No início de sua jornada empreendedora, todo investidor tem dificuldades em encontrar os colaboradores ideais para o seu negócio. Afinal, eles precisam não só de profissionais talentosos, mas também confiáveis, visto que o empreendimento está apenas começando.

Essa é uma vantagem quando se começa uma empresa com amigos e familiares. Os laços que vão além da convivência profissional são bastante importantes. Geralmente, as decisões tendem a ser menos burocráticas e podem ser tomadas com mais certeza.

Nessa relação, todos conhecem as habilidades e competências de cada um, bem como as suas limitações. Consequentemente, isso ajuda a estabelecer uma confiança maior sobre as ações do outro.

3.  A centralização do poder é um problema

Por mais que falemos de família, uma das maiores desvantagens é com relação à divisão de tarefas entre os membros. Geralmente, existe um gestor forte e ele concentra as principais atividades, ou seja, a centralização de demandas às vezes acontece em excesso.

Isso é uma desvantagem quando se pensa nos problemas que podem ocorrer com esse hábito, pois a centralização pode refletir no desempenho da organização quando o centralizador se ausentar, por exemplo. Além disso, existe a inabilidade dos outros membros que fazem parte da empresa e não sabem como tomar decisões.

4. A sucessão pode não acontecer de maneira correta

Outro problema que pode acontecer é com relação à sucessão. Nem sempre quando se fala de um negócio familiar ou entre amigos significa que todos os investidores terão conhecimentos e habilidades na área na qual investiram. Isso afeta a qualidade dos planos de carreira pelo estilo adotado. Logo, a oportunidade de que pessoas de fora desse círculo familiar — mesmo que talentosas e capacitadas — cheguem a altos cargos é bem menor.

A falta de um planejamento para que aconteça a sucessão é outra falha encontrada, o que aumenta a chances de falência quando existe a troca de gestão. Um dos agravantes é a competição de membros da mesma família pelo poder, gerando indisposições na vida familiar.

5. A cultura organizacional é bem definida

Nem só de desvantagens vive uma empresa familiar ou entre amigos. Quando as pessoas decidem abrir um negócio juntas é sinal de que, pelo menos, concordam com as diretrizes que o embasarão e almejam o crescimento do empreendimento. Por essa razão, um dos maiores benefícios de fazer esse tipo de sociedade é uma cultura organizacional bem definida.

Se as pessoas estiverem concentradas no propósito de manter a corporação por um longo tempo, a cultura organizacional é fundamental. Quando a família concorda e tem os mesmos princípios fica mais fácil introduzir esse pensamento e expandi-lo para os funcionários, tornando a respostas às diferentes situações um padrão.

6.  O dinheiro é uma questão delicada

A desvantagem do dinheiro é outra importante questão a ser pensada. Colocar o valor na mão de um parente ou amigo para muitos é mais seguro do que investir em um empreendimento de um desconhecido. No entanto, essa questão é mais delicada do que se pensa.

É preciso levar uma série de questões em consideração, como o caso de uma ação não sair como o planejado e o investimento for perdido. Por isso, é tão importante separar o pessoal do profissional, como frisamos no primeiro tópico.

Mesmo que a pessoa tenha consciência que essas perdas que podem acontecer, o relacionamento pessoal sofre reflexos e o negócio pode simplesmente ser descontinuado, gerando indisposição entre as partes.

Bônus: as ações para abrir um negócio com amigo ou família

Para conseguir colher bons frutos da parceria com família e amigos nos negócios é importante adotar algumas práticas. A primeira coisa é refletir se essa opção não prejudicará a relação entre as partes. Depois é importante optar por alguém que realmente tenha interesse no negócio e o ajudará a crescer. Todos os sócios precisam estar alinhados para que as chances de dar certo sejam grandes.

Depois de já ter aberto o negócio é hora de delegar as tarefas para cada um. Nesse momento é interessante ter um planejamento e alocar cada pessoa na área em que ela tem mais habilidade. Vale ressaltar que concentrar o poder apenas na mão de um membro não é o ideal. Todos os envolvidos precisam participar das tomadas de decisão e fazerem parte do processo de gestão.

Para isso é interessante que haja um compartilhamento maior de dados do empreendimento. A melhor maneira de fazer isso é por meio das reuniões semanais. Inclusive, esses encontros são essenciais para discutir melhoras dentro da empresa e também para apresentar ideias inovadoras que contribuirão para o sucesso futuro.

Uma última dica, mas não menos importante, é investir em profissionalismo. Não é porque um negócio é familiar que contratos podem ser verbais, decisões não registradas e os dados desencontrados. É fundamental trabalhar com muita seriedade, atendendo às regras do mercado, mantendo todos os procedimentos essenciais para o funcionamento da empresa.

Como você pôde ver ao longo do artigo, existem prós e contras de abrir um negócio com amigo ou em família, assim como de investir em um empreendimento individual. O fato é que é preciso pensar nas hipóteses para garantir que o empreendimento cresça independentemente das relações pessoais dos envolvidos.

Falando em sócios, sabemos que a escolha não é fácil. Por isso, preparamos um artigo sobre o assunto com algumas dicas para fazer uma opção mais certeira!

0 86