Ter um parceiro para abrir uma empresa pode tornar o processo muito mais fácil e satisfatório. Entretanto, é preciso ter cuidado redobrado na escolha da pessoa com quem você irá criar uma sociedade, ou o sonho de investir em um negócio pode virar um pesadelo sem fim. 

Pensando nisso, reunimos algumas dicas essenciais para empreendedores que querem saber como escolher um sócio adequado, firmando uma parceria que seja realmente vantajosa. Quer saber mais sobre o assunto? Descubra no conteúdo abaixo!

1. Aposte em pessoas com as quais a convivência seja harmoniosa

Lembre-se que terá de conviver com seu sócio diariamente e, juntos, vocês tomarão decisões importantes para o funcionamento da empresa. Nesse contexto, nada mais sábio do que procurar por pessoas que sejam fáceis de lidar – afinal, você não quer que o clima organizacional seja afetado por conflitos entre os proprietários, certo? 

Antes de chamar alguém para montar uma parceria, certifique-se de que vocês tenham uma boa sintonia e que a convivência não será um problema para nenhum dos envolvidos. 

2. Busque por alguém que tenha objetivos semelhantes

Outro ponto fundamental no processo de escolha é verificar quais são os principais objetivos do possível sócio. Não esqueça que é fundamental que ambos estejam alinhados na mesma direção, tendo metas parecidas. 

Quer um exemplo mais claro? Suponhamos que o possível sócio tenha como meta investir nos estudos, sendo que a inauguração do novo negócio é apenas uma forma de conquistar um rendimento melhor. Após conseguir o montante desejado, ele facilmente venderia a empresa. Já você pretende apostar cada vez mais no empreendimento, tendo inclusive planos de expansão.

Perceba que os propósitos a longo prazo são bem distintos e, provavelmente, é só uma questão de tempo para que surjam as desavenças. Para evitar frustrações, procure acima de tudo por pessoas que estejam no mesmo momento que você, combinado?

3. Procure por parceiros que saibam liderar

Muito se fala sobre a diferença entre chefes e líderes: o primeiro utiliza da autoridade para exercer poder sobre os colaboradores, preocupando-se, sobretudo, com os resultados. Para o chefe o mais importante é alcançar a meta, independente dos recursos utilizados.

Em contrapartida, o líder busca incentivar a equipe, criando estratégias para que a empresa se fortaleça como um todo. Ele não pensa apenas no crescimento da corporação, mas também no bem-estar de todos os envolvidos no processo. 

Para que a empresa tenha um desenvolvimento saudável é fundamental ter alguém que saiba liderar e seja capaz de extrair o melhor do seu time, não esquecendo — é claro —de aperfeiçoar sempre as metodologias internas. Essa é a forma exata de obter um negócio estável, que colherá bons frutos. 

4. Descubra se seu possível sócio é um bom comunicador

Falhas na comunicação podem causar desentendimentos sem precedentes, criando um ambiente hostil e desagradável na empresa – acredite: isso é fácil de acontecer, basta alguém alterar o tom de voz ou fazer uma brincadeira que possa ser mal interpretada. 

Uma comunicação objetiva e eficiente é capaz de solucionar inúmeros problemas, facilitando de forma geral o trabalho de todos. Para tal, é imprescindível que os gestores tenham uma boa comunicação, apostando sempre em diálogos cordiais e francos.

Essa ação fortalecerá os vínculos e manterá uma relação de respeito mútuo, o que é fundamental em qualquer organização.

5. Observe se as habilidades do sócio são complementares às suas

Não confunda alinhamento de objetivos com personalidades idênticas. Ter alguém que compartilhe os mesmos propósitos não significa que a pessoa precisa pensar igual a você em tudo. Ter visões diferentes não é necessariamente ruim, pelo contrário: parceiros que têm outras ideias vão ajudá-lo a ver outros lados de uma mesma situação.

Assim, pessoas com outras perspectivas certamente irão agregar valor à empresa. Elas apresentarão habilidades que podem ser consideradas como um complemento das suas aptidões. No final, a empresa terá características e talentos diferenciados, que juntos vão fazer a diferença na gestão do negócio

6. Verifique a proatividade e o interesse em crescer

Diferente dos colaboradores, os sócios precisam obrigatoriamente estar atentos às novas tendências, buscando alternativas que aperfeiçoem os processos e valorizem a empresa. É importante que todos os sócios sejam proativos e busquem formas de se atualizar constantemente, sempre se preocupando com o desenvolvimento da empresa.

Certifique-se de que o parceiro é engajado com novos métodos e tecnologias, e estará preparando para lidar com as demandas da atualidade. 

7. Certifique-se de que ele é honesto e íntegro

Essas são características imprescindíveis em qualquer ser humano. Tenha em mente que vocês irão movimentar dinheiro, e é fundamental que haja confiança no relacionamento entre os parceiros. 

Pense no quão desagradável seria ter que solicitar explicações a cada transação financeira ou questionar cada passo que o seu sócio dá. Parece um cenário complicado, que dificulta a relação de parceria, certo?

Antes de fechar o negócio, tenha plena convicção de que a outra pessoa é realmente honesta e jamais seria capaz de tomar uma atitude imoral, antiética, ou que vá contra os seus princípios. De forma geral, todos os sócios precisam ter convicções bem claras. 

8. Saiba que o sócio não é um fundo de reserva

Não são raros os casos em que os empresários têm a ideia de abrir um negócio em parceria baseando-se especificamente na questão financeira. Com uma verba reduzida, eles acham que a solução para ter maior capital é apostar em uma sociedade.

Nesses casos o parceiro é visto apenas como uma fonte de dinheiro, o que é um grande problema. Ao firmar uma parceira, o empreendedor precisa ter ciência de que os dois podem e devem opinar em tudo o que diz respeito ao empreendimento. Não caia no erro de pensar que o outro sócio funciona como um banco, contribuindo apenas com o dinheiro. 

9. Evite escolher pessoas muito próximas

Assim como não se deve misturar a conta pessoal com a conta jurídica, não é recomendado unir laços profissionais com sociais. O motivo é simples: com o menor sinal de problema, há possibilidade não só de a parceria acabar como de a amizade também se desfazer.

É difícil separar as esferas quando se tem ao mesmo tempo relações pessoais e profissionais. Por isso, o mais recomendado é optar por alguém não tão próximo. 

Saiba que não há uma fórmula mágica que determine como escolher um sócio, entretanto, seguindo as dicas citadas existe grande chance de você encontrar a pessoa certa para abrir um negócio de sucesso! 

Gostou do conteúdo e quer se inteirar mais sobre o universo corporativo? Curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de informações essenciais para ter sucesso no seu negócio!

0 24