Mesmo diante da crise econômica que nosso país enfrenta, uma atividade mantém a solidez e segue crescendo no mercado: as franquias.

Se já passou pela sua cabeça investir nesse setor, mas ainda não sabe direito como funciona, este post vai tirar todas as suas dúvidas sobre como funciona uma franquia. Boa leitura!

Franquia: um investimento seguro

Investir em franquias é, na maioria das vezes, mais seguro e mais imune a erros do que empreender por conta própria. Isso acontece porque o sistema de franquias tem regras e padrões bem definidos, cujas soluções já foram colocadas em prática antes, diminuindo os riscos.

Portanto, quando você investe em uma dessas empresas, não necessita passar pelo método de tentativa e erro, pois existe um planejamento e uma política interna bem estruturada, que dão respaldo à atividade. Há, por trás, um modelo de negócio que já foi posto em teste previamente e que se mostrou bastante lucrativo.

O resultado disso é que, segundo o Sebrae, enquanto 80% das empresas próprias fecham as portas em até cinco anos, no sistema de franquias essa taxa cai para 15%. Em 2016, o setor cresceu 8%, enquanto a economia no país encolheu.

O funcionamento de uma franquia

Ao se usar uma marca que já está consolidada no mercado, o franqueado deverá também, arcar com alguns custos para a abertura de uma franquia.

O primeiro deles é uma determinada quantia para a concessão da marca, que é a chamada taxa inicial de franquia. Essa taxa é paga no início do acordo entre franquia e franqueado, e normalmente na renovação de cada contrato.

Dentro desse valor estão incluídos vários serviços, como o treinamento da equipe, organização da inauguração e coquetel de apresentação da empresa, apoio no projeto arquitetônico, apoio na divulgação de marketing e etc.

Na maioria das franquias disponíveis no mercado também existe uma espécie de mensalidade a ser paga —falaremos mais sobre isso no tópico sobre os royalties.

O funcionamento de uma franquia, resumidamente é uma relação na qual o franqueado usufrui de todos os benefícios de um negócio pronto, montado e estruturado e em troca repassa uma parte do seu lucro ao franqueador.

O mais importante, por enquanto, é entender que todos os aspectos da relação comercial entre o franqueado (quem compra a unidade) e o franqueador (a empresa que cede a marca) são rigorosamente estipulados em um contrato, que deve seguir rigorosamente a lei de franquias.

Os benefícios de uma franquia

Ao adquirir uma unidade franqueada, o empresário recebe o direito de usufruir dos benefícios já estabelecidos por aquela rede. Entre essas vantagens estão usar uma marca que normalmente já é conhecida de um grande público, comercializar produtos e serviços exclusivos, além de contar com um sistema de operação e de gestão já elaborados. Conheça a seguir os principais benefícios que envolvem a abertura de uma franquia.

Os critérios são bem definidos

A legislação, aliás, é apontada como um dos principais fatores de sucesso do sistema de franchising. As regras estabelecidas dão segurança a esse modelo e garantem a transparência nas negociações, pois direitos e deveres são previamente esclarecidos e acordados.

Indo um pouco mais a fundo, um dos instrumentos mais interessantes dessa lei é a Circular de Oferta de Franquia (COF), um documento que reúne praticamente todas as informações necessárias para saber sobre a solidez e o funcionamento da empresa.

Assim, é possível analisar estes dados antes de comprar a franquia, o que evita surpresas posteriores e aumenta a segurança do negócio.

Além disso, as franquias possuem planos de negócios e estudos bem estruturados. Os franqueados podem consultar todos os dados da empresa e como é o seu funcionamento, antes mesmo de decidir por algum tipo de franquia.

A comunicação é unificada

Qualquer empresa, para ser bem-sucedida, precisa ter uma identidade — que pode ser entendida por como ela deseja ser vista pelo mercado e pelos consumidores.

Não importa se é um empreendimento avulso ou uma rede de franquias, a maneira como a marca é trabalhada é o que cria essa identidade, destacando-a dos concorrentes e até mesmo fidelizando clientes.

Porém, custos com propaganda e marketing costumam ser altos e, por mais que tragam resultados, acabam pesando no orçamento, principalmente para empresas que estão começando. As redes de franquias têm uma ótima estratégia para amenizar este impacto: compartilhar os custos para uma comunicação mais efetiva.

Dessa maneira, garante-se um trabalho de mídia de qualidade, reforçando a identidade. Toda a rede colabora para isso, agindo pela integridade da marca e pelo seu crescimento, tornando o trabalho de comunicação mais eficiente país afora.

Normalmente a matriz fica responsável por toda a parte de comunicação. Os custos para essa operação é retirado dos royalties, que são pagos pelas franquias aos franqueados em um determinando período de tempo. É importante ressaltar que cada contrato entre franqueado e franquia, mesmo que respeite as leis, pode ser diferente um do outro. Por isso, é preciso analisar cada caso separadamente.

Os franqueadores fornecem suporte

Quando o empresário opta pela franquia, tem à disposição um suporte tanto para o início das operações quanto para o dia a dia da unidade. Esse auxílio faz toda a diferença, sobretudo para quem não tem tanta experiência em administração.

Nesse sentido, os treinamentos oferecidos aos funcionários e ao empresário, o auxílio em questões burocráticas e de gestão são fundamentais.

Em termos financeiros, nesse suporte há vantagens como condições especiais para pedidos, prazos mais longos e desconto com fornecedores. A negociação, afinal, não é com uma empresa, apenas — mas sim com uma rede inteira.

Por fim, quando você empreende em uma empresa própria, ela não vem com manual de funcionamento. Já a franquia, graças ao suporte dado pela matriz, vem com esse manual.

O negócio tem padronização

Essa é uma das grandes vantagens das franquias, tanto para o empresário como para a clientela: é possível saber o que esperar do negócio, pois as principais variáveis são padronizadas na rede.

Os métodos de trabalho mais fundamentais, como a forma de atendimento e de gestão, passam pelas diretrizes prévias definidas pela matriz. E o melhor é que esses processos já foram postos à prova de fogo do mercado e deram bons resultados, o que minimiza os riscos.

O resultado é que a padronização aumenta a produtividade na rotina da empresa, além de manter a qualidade dos produtos e serviços. Ao fazer isso, maximiza a eficiência e os lucros.

Abrir uma empresa do zero e criar padrões de atendimento e de produção é muito difícil. Nesse sentido, acaba sendo fácil o cliente visitar a organização em uma oportunidade e, na segunda vez, não receber nada daquilo que esperava, pois o processo de produção teve alteração desde a última vez. Isso pode fazer com que o cliente saia insatisfeito e não volte mais.

O pagamento de royalties tem opções

Como você viu na introdução deste artigo, dentre as obrigações do empresário que adquire uma franquia está o pagamento dos chamados royalties, que gera muitas dúvidas.

Segundo a Lei de Franquia Brasileira (Lei 8.955/94), o royalty consiste na “remuneração periódica pelo uso do sistema, da marca ou em troca dos serviços efetivamente prestados pelo franqueador ao franqueado”.

A legislação não diz como esse valor deve ser cobrado, então existem diferentes modalidades no mercado de franchising – inclusive redes que não cobram esse valor. O mais comum é o pagamento mensal, calculado de formas variadas, como os exemplos que se seguem:

  • Royalty variável, baseado no faturamento mensal da unidade. Nesse modelo, o franqueador recebe uma porcentagem pré-definida (em geral, de 5% a 10%) dos rendimentos brutos ou líquidos do franqueado.
  • Pagamento de um valor fixo. Neste caso, a cobrança independe dos resultados financeiros da unidade e pode ser indexada pelo salário-mínimo ou outras taxas, como a inflação.
  • Cobrança híbrida entre os modelos anteriores. Há um valor fixo a ser pago, mais um percentual sobre os ganhos (ou a quantia que entre essas for maior).
  • Royalties sobre as compras de produtos. Nessa modalidade, a rede trabalha como fornecedor para os franqueados e o cálculo é feito com base na quantidade de pedidos.

Existem outras possibilidades, de acordo com a empresa franqueadora. Na verdade, pela lei, qualquer modalidade é válida, desde que a forma da cobrança esteja transparente no contrato e na COF – outro ponto a favor da segurança da negociação.

As estratégias são definidas e executadas

Criar um plano estratégico de uma empresa é um trabalho muito difícil. É preciso interligar todos os setores da organização e fazer com que eles saibam qual o objetivo geral da empresa, assim como os específicos de cada área.

Muitos empreendedores não criam estratégias, ou muitas vezes as colocam no papel, mas não sabem como executá-las. Isso é prejudicial para o negócio, pois é por meio da criação de metas e cumprimento das mesmas que a empresa começa a crescer no mercado.

A empresa possui uma rede de clientes

O reconhecimento da empresa no mercado é um diferencial de funcionamento das franquias. Quando se compra uma franquia, ela já vem com uma carteira de clientes, o que a difere de um negócio novo no mercado.

Os clientes são os principais personagens do sucesso de uma organização. É muito difícil conquistá-los, retê-los e fazer com que se tornem fiéis. Dependendo do tipo de franquia que você optar, você receberá uma rede de clientes leais à marca, o que é um ótimo negócio.

Além disso, caso as pessoas não conheçam a empresa, com certeza algum amigo ou parente deve conhecer, tendo como consequência uma maior expansão da notícia de que em determinado local abrirá uma franquia de uma organização já estruturada no mercado.

O orçamento financeiro já está desenvolvido

O plano financeiro é a estratégia que norteia qualquer empresa e elaborá-lo não é tarefa fácil. Primeiramente deve-se fazer um esboço do que se espera da empresa em períodos diferentes de tempo. Já nessa parte, a franquia tem uma ótima vantagem em relação às organizações únicas: já possui exemplo de outras unidades para que se possa apoiar e averiguar.

Além disso, as estratégias financeiras como as metas e os objetivos, costumam vir prontas pelos franqueadores, tornando a vida dos franqueados muito mais fácil.

O mercado de franquias está aquecido, sendo essa uma excelente opção para quem deseja abrir o seu próprio negócio. Uma das grandes vantagens é poder ser o seu próprio chefe, mas ter uma rede de apoio em todos os momentos.

Conhecer os diferentes setores para se empreender é fundamental para acertar em cheio na hora de escolher um parceiro para cessão e licenciamento de marca. Um dos setores que mais estão se desenvolvendo é o do mercado fitness, principalmente aqueles focados em treinamentos funcionais, por exemplo.

Ainda restam dúvidas sobre como funciona uma franquia e quais as melhores opções de franquia? Quer conhecer mais sobre oportunidades de licenciamento de marca? Deixe seu comentário e participe da discussão com a gente!

0 101