Os indicadores de desempenho são ferramentas importantes na administração de uma empresa, seja ela do tamanho que for, sendo usados para mensurar e analisar seus processos, sua estratégia e seus programas. Assim, é essencial para qualquer gestor saber como usá-los, pois podem ser o diferencial para o sucesso de sua organização.

Isso porque os indicadores de desempenho — ou KPIs (Key Performance Indicator) —servem para monitorar aspectos do seu desempenho, quantificando seu estado atual e mensurando a distância para alcançar as metas, os objetivos e as melhorias que integram o plano estratégico da empresa.

Mas, como os indicadores são utilizados na prática? Continue lendo nosso post, pois vamos explicar o que são e como usar os indicadores de desempenho.

Indicadores de desempenho na prática

Os indicadores de desempenho são métricas consideradas estratégicas, permitindo o acompanhamento e a análise do funcionamento da empresa, para que o corpo gestor possa tomar as decisões e atitudes mais eficientes e, depois, mensurar seus resultados.

Assim, são acompanhados números relacionados aos processos, à qualidade dos produtos e do atendimento, à produtividade e à satisfação de clientes e colaboradores, permitindo uma administração mais ativa, ao invés de reativa, frente a problemas e deficiências.

Dessa forma, a organização pode embasar sua administração em informações precisas e significativas, tornando o planejamento mais assertivo e as metas mais realistas. Além disso, acompanhar estes indicadores permite que a empresa enfrente melhor situações de crise, antecipe flutuações no mercado e esteja preparada para crescer.

No entanto, é preciso que os gestores saibam escolher os indicadores de desempenho que melhor forneçam as informações necessárias para conhecer seus processos e a realidade de sua empresa. Por isso, separamos abaixo alguns dos principais indicadores utilizados na administração de uma organização. Confira!

Principais indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho precisam ser escolhidos com cuidado, para que sejam relevantes de modo que fundamentem a gestão da empresa em suas decisões e análises. Para isso, eles precisam ser representativos, claros, confiáveis, acessíveis e comparáveis. Além disso, precisam ter um custo razoável de recursos para sua obtenção.

Veja abaixo alguns exemplos dos indicadores de desempenho mais utilizados:

1. Eficiência

A eficiência refere-se à capacidade de fazer mais utilizando menos recursos. Ou seja, é essencial para a lucratividade da empresa.

Um indicador de eficiência, geralmente, mensurará os recursos gastos em todos os processos da empresa, para que sejam cortados os desperdícios e racionalizados seus usos. Dessa forma, diminui-se o custo de produção sem que a qualidade dos produtos ou serviços seja comprometida.

Ou seja, há melhora na relação entre investimento e lucro, havendo diminuição no prazo do retorno e aumento em sua porcentagem.

2. Eficácia

A eficácia está relacionada ao atendimento das expectativas dos clientes e do alcance das metas propostas para as equipes internas. Assim, o indicador de eficácia mede exatamente o quanto os processos e os produtos da organização estão cumprindo sua função dentro da estratégia empresarial.

Ainda, é responsável por demonstrar se as ações da gestão estão alcançando as metas descritas em seu próprio planejamento estratégico.

3. Qualidade

O indicador de qualidade buscará medir a relação entre toda a produção e aquilo que foi devolvido ou reclamado como defeituoso ou inconforme. Este indicador se propõe a mensurar a capacidade de sua empresa satisfazer as expectativas de seus clientes, atendendo aos parâmetros de desempenho do produto ou do serviço oferecido.

Basicamente, devem ser medidos os parâmetros de desempenho e funcionalidade do produto, sua qualidade frente aos requisitos dos clientes e a percepção deles sobre o desempenho do processo, desde o marketing, passando pela venda, até a entrega do produto.

4. Produtividade

Indicadores de produtividade servem para monitorar a eficiência da empresa na sua produção. Ou seja, medir a capacidade de produção e a quantidade de recursos disponibilizados para isso, como o tempo de trabalho, mão de obra, infraestrutura, maquinário, matéria-prima, recursos energéticos, entre outros.

5. Lucratividade

Este indicador é utilizado para medir quanto do total do faturamento está sendo realmente revertido em lucro para o caixa da empresa. A lucratividade levará em conta todos os recursos utilizados na produção e os gastos diretos com a venda (frete, atendimento, pós-venda etc.), além dos impostos e encargos obrigatórios.

6. Ticket médio

Acompanhar este indicador permite conhecer melhor o setor de vendas e seu público consumidor, distinguindo suas médias de valor de compras.

Assim, a empresa torna-se capaz de saber quais os perfis dos clientes que mais compram, bem como quais estratégias de venda são mais eficazes e quais vendedores possuem melhor rendimento.

Para saber o ticket médio, é preciso dividir a média do montante vendido em um intervalo de tempo pela quantidade de clientes desse mesmo período.

7. Taxa de conversão

A taxa de conversão é importante para mensurar as estratégias de marketing de uma empresa, medindo a porcentagem de vendas realizadas sobre a quantidade de leads gerados ou orçamentos enviados.

Ela permite reconhecer em que estágio do funil de vendas os leads estão sendo perdidos, quais ações são mais efetivas e quais delas não trazem resultados satisfatórios.

8. Rentabilidade

O indicador de rentabilidade mede o ROI (return on investment, ou retorno sobre o investimento) da empresa. Isto é, qual a taxa de retorno que a organização oferece para seus investidores.

Dessa forma, é possível saber em quanto tempo o montante investido será recuperado e quando ela passará a dar lucro.

Este indicador está ligado à taxa de lucratividade no faturamento, que será dividida entre os acionistas.

9. Competitividade

Indica a capacidade de a empresa competir em seu mercado, analisando o market share, e qual a possibilidade de crescimento, observando os índices de satisfação de seus clientes atuais e a percepção da marca entre os consumidores no geral.

10. Turnover

Saber a taxa de turnover, ou seja, o tempo médio de permanência dos funcionários, permite à gestão da empresa ter conhecimento sobre seu ambiente interno. Dessa forma, poderá identificar problemas com a liderança, de valorização dos trabalhadores e de gestão de pessoal.

Como vimos, é importante saber escolher os melhores indicadores de desempenho de uma empresa para que eles possam embasar com propriedade e segurança as decisões e ações de seu corpo gestor. Utilizando os indicadores corretos, eles se tornarão uma ferramenta eficaz na melhora dos resultados da organização, sendo essenciais para seu sucesso.

Então, o que achou das nossas dicas? Sabe de outros indicadores de desempenho importantes que não foram citados? Compartilhe sua experiência nos comentários e contribua para enriquecer o debate!

0 81