Misturar as finanças pessoais com o caixa empresarial pode gerar um resultado desastroso, podendo levar o empreendimento até mesmo à falência. Por isso, é fundamental ter um cuidado redobrado com o dinheiro e garantir a total separação das contas.

Acredite: por mais que pareça complicado, é possível contornar a situação de descontrole colocando em prática algumas ações. Assim, o seu negócio não correrá o risco de ter problemas financeiros. Acompanhe as dicas abaixo:

1. Realize um diagnóstico financeiro

O primeiro passo para obter sucesso nessa missão é fazer um minucioso diagnóstico e conferir toda a movimentação de dinheiro. Anote com detalhe a verba que entra e a que sai, tanto na esfera pessoal como no ambiente da empresa.

Com essas informações, será possível ter plena ciência das despesas mensais, além de ter um completo controle das receitas. Assim, compilando as informações relacionadas ao dinheiro utilizado, você conseguirá elaborar um cronograma de gastos e rendimentos.

O ideal nesse caso é fazer um acompanhamento por, pelo menos, dois meses, certificando-se de que os registros apresentam dados confiáveis.

2. Crie contas distintas

Essa é uma ação relativamente fácil e eficaz. O empreendedor deve criar contas distintas, separando assim as finanças pessoais e as da empresa. Simples assim: vá até ao banco e solicite a abertura de uma conta física e outra jurídica.

A partir de então, você deve movimentar as contas de acordo com suas respectivas finalidades. Se quiser investir no empreendimento, por exemplo, utilize a conta da empresa. Já se for comprar um produto para a sua casa, retire o valor da conta pessoal.

Portanto, lembre-se de de não misturar as contas correntes. Se possível, tente solicitar cartões de crédito exclusivos. Essa simples ação evitará futuros problemas.

3. Determine o pró-labore

Definir previamente o pró-labore — termo que se refere ao valor de retirada do proprietário/sócio do estabelecimento — é fundamental no processo de separação das contas. Entretanto, alguns empresários, sobretudo os responsáveis por pequenas e médias empresas, ainda não adotam tal medida.

Como são donos do próprio negócio, eles acreditam que podem retirar o valor que julgam necessário na hora, independente do planejamento. Essa atitude, como pode imaginar, gera um quadro extremamente perigoso, que pode prejudicar o desenvolvimento da empresa.

Então, nada mais sábio do que estipular um pró-labore e retirar exatamente o valor determinado — nem a mais, nem a menos. Isso fará com que as contas da empresa fiquem equilibradas. Lembre-se ainda de estipular um valor suficiente o bastante para arcar com as suas despesas pessoais, sem, contudo, comprometer o funcionamento do negócio.

4. Solicite ajuda de profissionais

Caso o setor financeiro da empresa esteja totalmente desorganizado, de forma que nem você consiga ordená-lo, o mais indicado é contratar um especialista para ajudá-lo no processo.

Preparado para lidar com diversos cenários, ele será capaz de organizar as finanças e vai oferecer dicas efetivas para manter suas contas sempre no azul.

5. Utilize softwares de gestão de fluxo de caixa

A aquisição de softwares personalizados, que atendem a necessidade da empresa, é outra prática útil. Afinal, tais ferramentas auxiliam na gestão do fluxo de caixa, contribuindo assim com o controle dos gastos.

Além disso, você também pode investir seu tempo em cursos de finanças e se tornar mais capacitado para gerir o dinheiro próprio e o da empresa.

6. Fique atento aos prazos

Não são raros os casos em que os empresários percebem apenas no último minuto a necessidade de pagar alguma despesa do negócio. E o pior: caso o compromisso não seja honrado, o fornecedor cobrará uma multa expressiva.

Diante desse cenário, geralmente a primeira solução encontrada é utilizar a verba pessoal para arcar como uma obrigação de última hora e, como já dito, isso é um erro.

É preciso evitar que essa situação aconteça. Por isso, fique atento em relação aos prazos: tire um dia da semana para verificar todas as contas e os respectivos prazos de pagamento, evitando assim os atrasos e as desagradáveis taxas extras.

Se possível, tente colocar a data de vencimento de todos os boletos para o mesmo dia. Assim, será muito mais fácil controlar as contas e se organizar financeiramente.

7. Não faça compromisso com o dinheiro que ainda não entrou

Pode apostar: fazer compromissos com o dinheiro que você ainda nem recebeu é a fórmula exata para se desgastar financeiramente. Afinal, existe a possibilidade de a outra parte envolvida no negócio não respeitar o combinado e deixar para realizar o pagamento em outro dia.

A partir desse erro, o que acontece é um efeito dominó, uma vez que não será possível arcar com a dívida no dia combinado, o que pode prejudicar muita gente — inclusive você e seus credores.

Muitas vezes, a alternativa encontrada para esse problema é, novamente, utilizar os recursos pessoais para arcar com dívidas eventuais. E essa, com certeza, não é a solução mais apropriada.

Portanto, elabore um planejamento com as pendências financeiras, tenha um fundo de reserva para emergências e não faça compromissos com o dinheiro que ainda não entrou no caixa.

8. Evite fazer empréstimos

Faça o máximo para não ter de solicitar empréstimos, pois tal atitude, às vezes, pode ser um caminho sem volta. Afinal, se não conseguir quitar a dívida, o banco pode cobrar juros exorbitantes e quando perceber, você já forneceu toda a sua renda, inclusive bens pessoais, como garantia do negócio.

Portanto, se a situação ficar complicada, diminua o valor de seu pró-labore e elimine gastos supérfluos. Tente também reduzir o estoque, mas de maneira que não prejudique as operações da empresa.

Em último caso, vá até ao banco e entenda melhor os serviços oferecidos para pessoas jurídicas, certificando-se de que é realmente vantajoso e que não vai prejudicá-lo a longo prazo.

Separar as finanças pessoais e as da empresa é fundamental para manter a saúde financeira de seu negócio e as suas contas equilibradas. Por isso, siga à risca as dicas listadas acima e garanta o sucesso de seu empreendimento.

Gostou do conteúdo e quer ficar a par das novas tendência do mercado fitness e corporativo? Então, assine a nossa newsletter e receba dicas úteis para o seu negócio diretamente no seu e-mail.

0 62